• Bruna Moraes

Introversão, timidez e fobia social. Segredos que ninguém fala e que podem te ajudar.

Atualizado: 4 de Jun de 2020


Sabia que introversão, timidez e fobia social são coisas diferentes? Porém todas elas tem algo em comum: a preferência por níveis baixos de extímulo externo. E o que seria isso? Tanto na Introversão, quanto na timidez e fobia social, a pessoa costuma se sentir satisfeita com pouco contato social ou em casos extremos, nenhum.

Na sociedade de hoje o traço de personalidade mais valorizado é o extrovertido. Este traço está constantemente sendo associado pela mídia em geral com a capacidade de ter autoconfiança, sucesso, bem estar e valor, mas nem sempre isso é verdade. A capacidade humana de concentração, reflexão, introspecção e profundidade, característica dos introvertidos, há muito vem sendo desprezada.

É claro, diferentes traços de personalidade são celebrados ou prestigiados de acordo com nosso momento histórico. Hoje vivemos em um mundo em que a força de trabalho deve ser extremamente pró ativa e lucrativa. Isso significa o fim para os introvertidos, tímidos ou fóbicos? De modo algum. Vamos analisar cada um deles.

Introversão

A introverção é um traço de personalidade com o qual uma pessoa desfruta de bem estar quando sua energia é direcionada para seus pensamentos ou atividades em que se encontre sozinho. Muitos gostam de escrever, desenhar, ou trabalhar com algo que estimule sua criatividade ou intelecto. Os introvertidos necessitam sim de um certo grau de interação com o mundo exterior, tendo amizades, relações e interesses diversos. Sua característica principal é que para recobrar suas energias, precisa de um pouco de quietude e isolamento, para que depois possa retornar ao mundo, realizar seus desejos, projetos e se relacionar com as pessoas que lhe são significativas.

Timidez

A timidez é um desconforto provocado por uma autocosciência exagerada. Esta autoconsciência é produzida ao se deparar com uma determinada dificuldade ou acontecimento que consequentemente faz lembrar de uma crença enraizada sobre si mesmo(a). Estas crenças costumam ter um conteúdo depreciativo e geralmente estão associadas a fatos ou vivências que marcaram. O modo que estas lembranças são percebidas também pode causar a construção destas crenças sobre nós mesmos. A terapia é uma boa ferramenta para analisar e refletir sobre elas, e deixe-me dizer algo: não é incomum que estas crenças horríveis sobre nós mesmos estejam equivocadas. Nada que uma dose de compreensão e outra de psicanálise não possa solucionar.

Fobia Social

A fobia social é uma patologia associada ao medo. A atenção gravita basicamente nos aspectos negativos das interações sociais. Ansiedade também está presente por conta do constante pensamento sobre o possível resultado catastrófico destas interações. A fobia social se desenvolve por conta de experiências significantes durante a vida, ambiente familiar e genética. Viver com medo constantemente, além de comprometer o corpo o induzindo a produzir altos níveis de cortizol e assim aumentando a perda de massa muscular, diminuindo a produção de testosterona, etc; também faz com que conquistas pessoais sejam difíceis de alcançar, ou talvez não sejam alcançadas.

A boa notícia é que hoje em dia há várias possibilidades, uma delas é a terapia virtual, ela pode se dar até via chat ou email, clique aqui para saber mais. Falar continua sendo a maneira mais eficaz de solucionar questões emocionais ou mentais, no entanto falar já não precisa ser tão assustador.

Precisa de ajuda especializada?

Visite http://www.brunamoraespsicologa.com.br/marque-sua-consulta

#blogdaterapia

337 visualizações0 comentário

Bruna Moraes
Psicóloga

Rua Silvia, 383 Bela Vista São Paulo - SP 01331-010

Contato: (11) 99017-6680

domingo

segunda-feira

terça-feira

quarta-feira

quinta-feira

sexta-feira

sábado

Fechado

08:00 – 20:00

08:00 – 20:00

08:00 – 20:00

08:00 – 20:00

08:00 – 20:00

08:00 – 13:00